Como sair vivo das festas

Como sair vivo das festas

“O DANÇAMOS ESTE PASODOBLE?”

Isso é um segredo: a SGAE não é uma sociedade de autores, é uma loja de mitômanos do pasodoble que ganham menos dinheiro para as orquestras de acanto para que toquem essa música. Por isso, as duas primeiras horas, os cantores homens na casa dos quarenta enchidos em vestes forçados interpretam (sem reinterpretar) os clássicos de ontem, hoje e sempre. E claro, o mais normal é que depois de ouvir intermináveis medleys de coplillas e chundas-chundas no final alguém, que costuma ser a sua mãe ou uma contemporânea compinchada com a SGAE, te convidar para dançar o ‘Francisco Alegre e olé‘.

NUNCA
caia, sob nenhum conceito. Primeiro, porque, embora tenha sido do corpo de baile da Noite de festa, o pasodoble dança, como manda a acompanhante, e seu senso de ritmo pode ser que varie do teu, o que leva ao ridículo. Segundo, porque são longos, muito longos. A maioria são histórias de amor impossíveis que retorcem-se em sua trama até perder o sentido. Um pasodoble, em média, cansa o mesmo que um triatlo. De fato, o COI baralho sua inclusão como competição olímpica para Madrid 2020, em uma dura luta com o chotis.

“UMA VAQUILLA NÃO É UM TOURO BRAVO”

Parabéns, sobreviveu você para uma noite de esperpento em Quintajurásica do Minglanillo. Mas o dia vem a tradição mais sem sentido do mundo: a solta de vitelas na praça de touros improvisada para a ocasião. O que vereador iluminado pensou que após 38934 pasodobles e 2382 músicas de Georgie Dann a gente tinha o corpo para cortar a estes seres inocentes?. Claro, o cenário acaba sendo o de uma multidão a proteção à espera que algum corajoso se atreve a vacilar o bicho.

É então quando alguém te anima assegurando que você que é um atleta de academia de bairro, que se você dançado de cima para baixo ‘Bonita, bonita, bonita’, você pode se tornar o herói da noite e o foco do divertimento do povo. Nada mais longe da realidade, as vitelas cheiram ao tema, e normalmente ensañarse pisando o acelerador para deixá-lo em evidência. Por isso, o melhor é fazeres o lesado ou o sono, e, em nenhum momento, duvidar sobre sua participação.

As arquibancadas são o melhor lugar para ficar resolvida com a sua camisola de lã, seu Bob Esponja contaminado e seu copo de plástico com os gelos derretidos.

Fim de festa: ressaca infinita e volta para a cidade

Fim de festa: ressaca infinita e volta para a cidade© Corbis

como fotografar desconhecidos em suas viagens

como fotografar desconhecidos em suas viagens

5. SAÚDA NO DIALETO LOCAL. APRENDA ALGUMAS PALAVRAS, VESTE-SE ADEQUADAMENTE

Aproxime-se da cultura. A primeira impressão é importantíssima. Costuma começar pela vestimenta –todos classificamos os outros pelo aspecto físico – para seguir com o olhar e, por fim, as palavras. Nada gera mais simpatia do que a de um estrangeiro fazendo esforços para falar a língua local. E se a língua é um dialeto, é de uma tribo Mursi, na Etiópia, e pouco conhecido… O triunfo é garantido!

Monges, iniciando a sua comida. Yangoon. Birmânia

Monges, iniciando a sua comida. Yangoon. Birmânia© Harry Fisch

6. A MAGIA E A SURPRESA: A LINGUAGEM UNIVERSAL

Nunca perca a oportunidade de surpreender o estranho. Há alguns anos, em Rangoon (Yangon, Myanmar) ocorreu-me fazer uma pausa matinal em direção a um grupo de templos que se viam desde o hotel. As cinco da manhã, ainda não era de manhã. A câmera de fotos na mão direita. Com as primeiras luzes me encontro na entrada de um mosteiro budista, e a porta aberta de par em par, uma freira, crânio rasurado me olha, sorri e, com um movimento de cabeça, convida-me a entrar. Na penumbra eu vou atrás dela por intermináveis corredores finalmente chegando a uma sala em que eu vejo, sentado de cócoras para o alto de um poyete, a quem deveria ser o monge principal do mosteiro. O café da manhã, que não tinha começado, estava servido sobre uma grande caixa no próprio chão da sala.

O religioso não parecia muito contente com a minha inesperada presença: cara de poucos amigos, olhar censor raiva dirigida à freira que me acompanhava. Silêncio desconfortável enquanto cruzamos os olhares. Não falam a minha língua, nem eu o seu. Eu olho fixamente para o monge, tendo a câmara fotográfica a monja que estava a minha direita e eu corro até ele, sem deixar de miralo os olhos. Enquanto o faço, eu subo com grandes gestos, as mangas da camisa. Ao chegar a um passo de distância, echo mão ao bolso para tirar uma moeda que mostro com arte.

O monge acrescenta surpresa para a cara de raiva. Não compreende o que pretendo e está convencido de que o intruso, muttley e desconsideração turista, lhe oferecendo –quase ofendendo – o com uma ridícula esmola em sua própria casa. Levanto para o céu a mão para atrair a atenção sobre a moeda e, desfrutando do estupor que produz o gesto, a guio para a boca…o Tragándomela! Se olham surpresos. Deixou passar alguns segundos enquanto viajo nos maxilares aparatosamente em gesto de dificuldade para mascarla.

Nova pausa, ao tempo em que exagero, o riso da deglutição. Estou me divertindo, conhecendo de antemão o final do ato: eu levo a mão ao nariz e a situação até conseguir –aparentemente – que a moeda que tinha me engolido saia por ela. Surpresa. O rosto do monge já não reflete raiva. Com as duas mãos se abala fortemente a cabeça e… quebre a risotadas, alborozado como uma criança pequena!

A partir desse momento se produziu a transformação. Passei a ser um incômodo estranho ao amigo que trazia um presente, o bom humor e a surpresa. O reitor dedicou-se a mim em exclusivo, durante a hora seguinte, despertando os monges em seus quartos e incentivando-os a posar para mim.

Aprenda algumas palavras em locais

Aprenda algumas palavras em locais, interage com a realidade© Harry Fisch

25 lugares incríveis para 2017

25 lugares incríveis para 2017

Vinte e cinco

Luberon Românticos

FranciaRománticos

Luberon: a Provença elevada à máxima potência

Neste recanto do sul da França lhe assenta bem a realeza, celebridades e viajantes que descobrem por acaso. Esta região é, por usar uma comparação perfumístico muito próprio da área, um extrato da Provença. É a Provença destilada e elevada a sua mamáxima expressão, respectivamente. Aqui, há campos de lavanda, vinhas, mercados de antiguidades, como o L’Isle-sur-la-Sorgue, de estúdios de artistas como Cezanne em Aix-en-Provence, festivais potentes, como o de Teatro de Avignon e muitas opções para desfrutar. Neste lugar você se sinta o protagonista de um filme de Louis Malle ou de Éric dirigido por françois truffaut. Alguns dos seus povos se encontram entre “Les Plus Beaux Villages de France’. Há que visitar lugares como Gordes, Menerbes, Roussillon, ou Venasque e pedir um vinho na praça do povo. É impossível viajar para esta área e que não escape um “em uma outra vida para viver aqui… ou essa”.

Mapa de Luberon24

Oslo Citadinas

NoruegaUrbanitas

Oslo: é hora de acreditar

Não tem a fama do resto das capitais escandinavas. Nem a falta que você faz. Oslo tem personalidade suficiente para não precisar pois do resto. Esta é uma cidade que guarda a sua beleza (muita) para o que sabe ver, lotada de pessoas saudáveis e bonitas e com uma vida cultural tão discreta e interessante. Este é um ótimo lugar para apreciar a arquitetura contemporánea. Um passeio pela Operahuset, projetada pelo estúdio estrela da arquitetura nacional, Escandinávia, confirma-o. Também há a área de Aker Brygge, com o museu de Astrud Fearnley, de Renzo Piano e o hotel The Thief. Oslo é a cidade de Munch, que conta com a sua lógica e o próprio museu e o orgulho de toda uma nação. Para uma rota ‘hip’ você tem que ir para Grünerløkk, onde o projeto começou com o vintage e os cafés orgânicos. Mas se há algo que fascina desta cidade é o quão perto está da Natureza extrema. A presença do fiorde é poderoso e atraente. Oslo, não seja tão tímeça.

Mapa de Oslo23

A Paz Foodies

BoliviaFoodies

Gustu, a origem da transformação gastrónomoica da cidade

Reconozcámoslo: a Bolívia não estava no nosso radar gastro. Devería estar grávida. Os mais esnobes que eles chamam de “o novo Brasil”. O certo é que A Paz, a capital, tem caráter próprio e não precisa de comparações. Além disso, aparece como um destino virgem, por descobrir, e isso sempre gosta. Nela há um restaurante que tem funcionado como um núcleo de esta consideração de Bolívia, como meca gastro. Chama-Se Gustu, abriu em 2013 e colocou o país no mapa culinário. Por trás deste restaurante, uma anomalia em um país sem tradição gastro, está Claus Meyer, fundador da Noma. A equipe de Gustu é internacional (há desde venezuelanos a dinamarca) e serve pratos que só poderiam ser cozido aqui: batata, quinoa, amaranto, tumbo…ingredientes que são bem populares por lá, passam em Gustu uma transformação. Neste restaurante pode ser uma boa desculpa (de fato, o é) para viajar para a Bolívia, país a que se costuma recorrer à procura de riqueza natural; no entanto, não é o único site onde comer. Os mercados populares, como o Rodríguez, não falham; tampouco propostas contemporâneas como Villa Serena e Lua Garden-Oberland. E, surpresa, na Bolívia também há vinho local. E existe desde o século XVII. Titicaca, desculpe: você não é o único (mas você continua sendo linda) que vem para visitar a Bolívia.

Mapa de La Paz22

Serra de Gredos Naturais

EspañaNaturales

O refúgio dos happy few’

Leva lá milênios. Mas, até há poucos anos não se começou a afirmar como destino os “happy few’. Aqui a gente é pouca e está feliz. Ambas as palavras nos interessam. A serra da compartilham Cáceres, Ávila e Toledo. Não só tem um microclima próprio e de fácil acesso a partir de Lisboa, mas que conta com alguns dos hotéis mais interessantes (e belos) de Portugal como Calendaria Experience e a América CantaElGallo. É o lugar onde os piqueniques com copos de vidro em frente a um lago, são comuns; onde se pode andar a cavalo, jogar golfe ou para o polo (há sete campos) ou não fazer nada. Aqui tudo é discreto, elegante e desfrutar, respectivamente. Tanto como os muitos famosos e anônimos que se escondem nesta serra e que a querem manter em segredo.

Mapa da Serra de Gredos21

Tel Aviv Foodies

IsraelFoodies

Messa, um dos caprichos foodies da cidade

Tel Aviv guarda muitos segredos. O mais visível é que é a cidade com mais edifícios Bauhaus do mundo, mais de 4000. Sim, são milhares. Isso lhe confere um ar eternamente moderno. A arquitetura sempre foi uma atração para seus visitantes; agora, cada vez mais, é a gastronomia. Em Tel Aviv sempre comeu muito bem e isso, sabe aqueles que a têm visitado, que não esperavam esse banquete (sempre abundante) de sabores e cores. Uma matéria-prima excelente, gosto zero com o passado e uma comunidade multicultural, gerava uma cozinha muito grata. Além disso, é uma cidade jovem e sem preconceitos, que se atreve a lançar tendências. Foi das primeiras cidades a oferecer pequenos-almoços tudo o dtambém, algo que ainda agora, em Londres, como se o tivesse inventado lá. Hoje lida com tudo, com as sorveterias sem glúten como Gela. Também possui cozinhas de todo o mundo com a mesma energia com que vive. Um de seus restaurantes mais conhecidos é Messa e um de seus chefs estrela é Eyal Shani, com nove restaurantes em Israel e no resto do mundo. Em Tel Aviv, até o site mas simples surpreende com um festival de sabores. Se a isso lhe acrescentamos que é uma cidade com uma enorme quantidade de bonitos e bonitas por metro quadrado, com boas praias e ambiente eterno, não nos resta mais remédio que pensar em ir.

Mapa de Tel Aviv20

Lago Lomond Românticos

Reino UnidoRománticos

Escolha a sua margem de mitos e lendas

Um lago é obrigado a esconder lendas e mitos. Um lago situa-se a meio caminho entre o mar, a piscina e o rio, por isso é impossível estar perto de alguém e não cair apaixonado de sua beleza, porque não há lagos feios. Não há. O Lomond, situado entre Edimburgo e Glasgow, é um dos mas bonitos da Europa. Foi um destino da burguesia e aristocracia durante a primeira metade do século XX. Hoje, continua mantendo seu ar elegante, mas ao seu redor, há hotéis e bed & breakfast, todo o que valorize a beleza de um lago. Um dos povos mais belos da Escócia, Luss, está aqui. Também hotéis como Cameron House, que com suas chaminés e seus vista para a água prometem vários dias de felicidade. Nota mental: não digamos nunca ‘lake’ mas ‘loch’ e pronunciémoslo /loj/.

Mapa do Lago Lomond19

Nairobi Naturais

KeniaNaturales

Em busca dos “Big Five’

Existe. Essa fantasia, enquanto o cinema e a literatura, existe. É o que desenha um cenário de ‘luxo’ no meio da savana, de passeios ao amanhecer para ver os Big Five, de cocktails ao pôr-do-sol depois de ter visto (ou tentei ver os Big Five, de pequenos-almoços interrompidos pelo caminho dos elefantes, de noites alumbrados por velas, recordando o dia. Quênia te dá o que pode imaginar e muito mais. A beleza de seus parques e suas criaturas ultrapassa a imaginação. Os hotéis (‘lojas’ ou ‘luxo’, há que aprender com as diferenças). Lembre-se estes nomes: Lewa House, Richard’s River Camp ou Sirikoi. Voar até lá, escolher um par de áreas naturais como Laikipia e Samburu, ou até mesmo a popular reserva Massai Mara, e passar vários días uniése ao ritmo da Natureza, é um presente que devemos a nós mesmos.

Mapa de Nairobi18

Marrakech Citadinas

MarruecosUrbanitas

A vida entre palmeiras, riads e palácios

Tem muito de exótico, com suas palmeiras e seus riads, mas também muito familiar. Esta cidade de Marrocos, arrastando-a para a maior parte dos viajantes, sendo, ao mesmo tempo, próxima e distante. Marrakech é como uma fantasia que reúne tudo o que esperamos dela: a herança de Yves Saint Laurent, os cafés coloniais, como o Café de la Poste, as ruas de ar afrancesado de Gueliz, os saltimbamcos de Jeo maaFna… Marrakech está salpicada de hotéis que são mais do que hotéis, como A Mamounia, um tesouro nacional. Também de hotéis que, às vezes, são os riads, às vezes, palácios e, às vezes, villas, como A Sultana, Riad Samarkand, Villa des Orangers, Palais Namaskar ou Royal Mansour. Artesanato merece um capítulo a parte: não só se compra nos postos do mercado, mas em lojas de ar mais contemporâneo como 33 rue Majorelle, Ministério do Gosto ou Beldi. De Marraquexe é impossível voltar sem novas aquisições para a casa ou o guarda-roupa, e sem sentir que tem estado dentro de um conto.

Mapa de Marraquexe17

Cidade do México Foodies

MéxicoFoodies

O “new York”?

Lhe chamam de “nova York”, por sua energia humana e a sua vibracição cultural. Cidade do México é imensa, difícil de lidar, mas ainda está lá, torna-se impossível não gostar. A comida é fundamental neste processo, porque está vivendo um momento gastro muito efervescente. A cozinha popular, continua a ser a base criativa, mas há toda uma corrente de chefs e espaços que estão sofisticando e misturando. O resultado é delicioso. As neocantinas preenchem a cidade; também a reivindicação das cozinhas locais, como a de Merotoro ou Guzina Oaxaca. Um dos templos gastro a cozinha contemporânea é Quintonil, liderado por Jorge Vieira; este restaurante é o número 12 na lista dos 50 Best, tão prestigiada ela. Não está sozinho no topo: o número 25 é Pujol, de Henrique Oliveira dos santos. Mercados como o de Independência, Roma ou Milão 44 dão pistas da ‘gourmetización’ da cidade. O único problema que apresentam é que é complicado escolher. Na Cidade do México, queremos tudo: a cozinha tradicional e a alta cozinha, o mescal e o vinho, o local e o alheio. Tudo.

Mapa de Cidade do México16

Lanzarote Românticos

EspañaRománticos

Caráter vulcânico

Uma das ilhas mais carismáticas do mundo está a apenas duas horas e meia de avião. Lanzarote, volcanica, calma e intensa, continua a ser uma surpresa até para os viajantes mais viajados. Será pela sua paisagem, que nos faz sentir marcianos, ou por suas praias de água transparente; ou, talvez, por seus povos brancos, que dá medo de tocar por se desaparecem. Tudo isso é surpreendente, mas o mais singular é a presença do artista sar Manrique no desenho da ilha. Este lanzaroteño voltou à sua ilha, depois de morar em Nova York e Madrid, com o objetivo de trazê-lo de volta e transformá-la no que é, um lugar que não se parece a nada. Sua obra abala a ilha. Os Jameos del Agua, os móveis, a sua Fundação, a sua Casa-Museu, o Monumento ao Camponês… Estes monumentos ou instalações de arte moderna dão à ilha de Lanzarote, uma personalidade única. O fato de ser uma ilha com poucas pessoas e clientes lhe dá um caráter íntimo. Além disso, não há uma má foto em Lanzarote. Todos saem bonitas.

Mapa de Lanzarote15

Cáceres Foodies

EspañaFoodies

Átrio, a origem de tudo

Ou coumo um restaurante cambiou a uma cidade. Átrio abriu há vinte anos em um pequeno local que tinha tudo para passar despercebido. Mas Toñou Pérez e Jose Polo, seus factótums, não tinham intenção de fazer isso. Começaram a cozinhar usando de base produtos e receitas da área até começar um processo de renovação do que são arte e parte. Paralelamente, começaram a reunir uma vinícola que hoje é uma das mas importantes de Espanha, com coleções curiosas e apostas ousadas. Sua carta de vinhos, e isso é sintomático, tem quase 400 páginas. Átrio tornou-se um segredo e em um ímã para os visitantes a uma cidade que sempre foi preciosa. Há alguns anos Átrio mudou-se para o que chamam de “Antigo”, a cidade histórica. Lá, se transformou em restaurante-hotel. A arquitetura colocou-o estudo de Mansilla + Tuñón e o resultado foi algo atípico, e único em Portugal. Átrio é um local de destino para o que viajam pessoas de todo o mundo para jantar, dormir e tomar o pequeno-almoço (de olho em seu perfeito pequeno-almoço). Conta com duas estrelas Michelin e serviu de catalisador para o resto da oferta cultural e gastro da cidade. De fato, um de seus cozinheiros acaba de ganhar o Primeiro Prémio do Concurso Nacional de Espinhos de 2016. Um gastroviaje a Cáceres passa, claro, por visitar a Fundação Helga de Alvear, a poucos metros do Átrio. Arte e Gastronomía: queé grande plano.

Mapa de Cáceres14

Miami Citadinas

Estados UnidosUrbanitas

O melhor da cultura norte-americana e latina

Ou se ama ou se odeia, mas se você tem estado lá, esta cidade só pode nos gostar. E muito. Miami tem de melhor da cultura norte-americana e o melhor da música latina. Além disso, conta com praias de água azul-turquesa, uma arquitetura singular, coleções de arte impressionantes como a Margulies ou a Rubell Family Collection, museus potentes como Pérez Art Museum, Miami e o MOCA e muito boas lojas. Este é um lugar perfeito para ‘arquifetichistas’ já que é uma meca de art deco e um estilo que só se dá lá, o MiMO. Também para os amantes da arte e design: um passeio pelo Design District é imprescindível. Mas, acima de tudo, Miami é um lugar em que recalan os disfrutones. Todos os grandes hotéis da cidade, do The Edition para o Nautilus , passando pelo novo Trabalho, ajudam o desfrute. Também a sua gastronomia sem pretensões (embora cada vez mais refinada), mas sempre grata e, acima de tudo, a energiaía que se respira nas ruas.

Mapa de Miami13

Ilha de Páscoa Naturais

ChileNaturales

Aqui só vem quem, de verdade, anseiam por vir

Ninguém entende o significado da palavra remoto até que, com o cabelo despenteado pelo vento, que está em frente a um moai. Chegar à Ilha de Páscoa é difícil, mas a viagem age como filtro: só vão pessoas que querem ir, aqueles que são muito desejado. Por isso, esta ilha situada na Polinésia, ainda que pertence ao Chile, está cheia de gente feliz de estar onde está. A ocupación principal de Ilha de Páscoa consiste em tentar entendê-la. Este lugar está repleto de estátuas, essas esculturas tão intrigantes. Há centenas. Ir para procurá-las é uma desculpa para explorar uma ilha curiosa, em que alternam os vulcões e as praias de águas azul-turquesa. Também pode ver os cavalos selvagens a partir da janela de seu hotel. Por certo, os hotéis são notáveis. Ali está o famoso Explora Rapa Nui, pioneiro no chamado ‘postlujo‘, aquele que foge de televisões de plasma e a aposta sustentável e o conteúdo.

Mapa da Ilha de Páscoa12

Sevilha Românticos

EspañaRománticos

Doce e apaixonada, Sevilha

Dizer que Sevilha é linda é redundante, mas há que fazê-lo. Além disso, como toda cidade linda também é vaidosa e agradece a adulação. Sevilha oferece o que se espera dela: densidade artística, elegância, pátios discretos, retábulos barrocos nada discretos, e pontes que são como ruas, monumentos que parecem de mentira, e com muita vitalidade. Mas, além disso, oferece o que não se espera. Por exemplo, rotas de bicicleta por toda a cidade, bairros afastados das rotas turísticas, como o encantador Futuro, áreas inteiras em processo de ressurreição como a rua da Feira ou da área do Porto e hotéis novíssimos e cosmopolitas como o Mercer. Sevilha, por estas razões e muitas mais, é infalível. Além disso, a cidade inteira parece que está perfumada pelo aroma que exalam as laranjeiras. Esta cidade está salpicada de recantos em que gosta de se perder e manter o seu telefone para que ninguém nos encontre e nem usá-lo para fazer uma fotografia. Sevilha é perfeita para dois, esta pensada para dois. Qualquer pessoa que tenha sido acompanhado nos jardins do Alcázar ou atravessando a ponte de Triana o pode confirmar.

Mapa de Sevilha11

Udaipur Citadinas

IndiaUrbanitas

Mais exótica e romântica do que nunca imaginavas ser possível

Haverá pessoas que não pretende viajar para a Índia, cercar-se de saris coloridos e percorrer palácios e castelos. Jamais haverá. Não a conhecemos. A índia é um dos destinos mais míticos do mundo. Dentro da Índia, Udaipur é uma das cidades que convocam mais fantasías viajantes. A identificamos por seu lago e é tudo o romântico e exótico que imaginamos. Suas paredes estão decoradas com pinturas de cores, suas ruas são labirínticas e sua vitalidade é esmagadora. Sua vida gira em torno do lago Pichola, junto ao que é fácil tornar-se centenas de fotos. Udaipur é cheio de palácios, havelis e templos, mas é o City Palace, o mais grande em India, o que nos roubará mais suspiros e fotos. Esta cidade conta com mais de meio milhão de habitantes e conhece a sua atractividade. Por isso, oferece várias opções para dormir e, a maioria, com vista para o pôr-do-sol e para o lago. O hotel mais conhecido é o Taj Lake Palace, um palácio hotel situado no meio do lago, e um desses lugares em que você tem que dormir uma vez na vida. Outro, se nós caprichosos, pode ser em Oberoi Udaivilas, um espectacular complexo às margens do lago. Somos caprichosos. Queremos ser. E em Udaipur, devemos sê-lo.

Mapa de Udaipur10

Saimaa Naturais

FinlandiaNaturales

Um delicioso labirinto de ilhas de espera

Este lago não é um lago. É um labirinto. E nesse labirinto há ilhas: dezenas, centenas, milhares. O lago Saimaa, é o maior lago da Finlândia e o quinto maior da Europa. É nesse lugar que imaginamos quando pensamos em uma cabana, um cais, um banho revigorante, uma sopa de salmão e uma pele limpa e suave. Em torno do lago Saimaa e suas cidades (Mikkeli, Anttola e Savonlinna) há todo um estilo de vida. Aqui tudo é silêncio, mas um silêncio ativo. É possível comprar artesanato e design, ir à ópera (o popular Festival de Savonlinna), dormir em cabanas de arquitectura contemporânea, como as dos Arts & Design Villas, fazer uma sauna eterna e até realizar degustações de vinho (de frutas do bosque, isso sim). O plano perfeito é alugar uma cabana e deixar-se levar. Só há um perigo: a paz é viciante.

Mapa de Saimaa9

São Sebastião Foodies

EspañaFoodies

Juan Mari e Elena Arzak: imbatíveis para os fogão

Francesa e com a auto-estima elevada, San Sebastián, é uma rara avis entre as cidades espanholas. Se as estrelas de Hollywood nunca recusam assistir ao festival para assim poder entregar-se às pintxos e à boa mesa, comonós vamos resistir nós? Em ciudad autónoma de buenos aires, há grandes nomes, que nunca baixam a lista dos melhores restaurantes do mundo e as estrelas Michelin, o confirmam. Aqui estão Arzak, Akelarre, Eme Be Garrote (de Martín Berasategui) e Mugaritz (a uma curta distância da cidade, em Lisboa), mas não são os únicos. O que há nesta cidade é uma autéverdadeira constelacioun Michelin. É uma das cidades do mundo com maior número de estrelas por metro quadrado. Uma viagem gastro por San Sebastian deve incluir uma visita a uma destas mecas da alta cozinha, mas também um caminho de pintxos. Uma das paragens innegociable é A Fogo Negro, no bairro da Cidade Velha. E se queremos ter um ‘gastrosouvenir’ podemos passear pelo Mercado Da Bretxa. Será impossível conter.

Mapa de São Sebastião8

Alentejo Românticos

PortugalRománticos

Alentejo: o canto autêntico

É complicado viajar para esta região de Portugal e não pronunciar a palavra “autêntico” várias vezes. Lá tudo é: a comida, os campos, as praias, os povos, as suas gentes. Se autênticoeverdadeiro é tudo o que permanece fiel a sí mesmo, o Alentejo é. Mas não é um lugar ancorado no passado. Um bom indicador é o nível hoteleiro. Aqui há hotéis deliciosos que cultivam a sustentabilidade e a arquitetura contemporânea como Sobreiras, Villa Extramuros ou Ecocork Hotel. O vinho está no centro de muitos planos, de fato, está no centro de hotéis como Torre de Palma, que faz parte de Design Hotels, ou o mais conhecido , o L’AND Vineyards. Este último acabou de ganhar a sua primeira estrela Michelin. Isso é importante, mas mais importante ainda é o fato de que alguns de seus quartos estão equipados com um teto que permite ver as estrelas. Antesmo não amar o Alentejo.

Mapa do Alentejo7

Reykjavík Citadinas

IslandiaUrbanitas

A cidade mais natural

Fazer a ligação urbano o que acontece nesta cidade é um desafio porque há poucas capitais no mundo tão tranquilas, compactas, pouco povoadas e mas em contato com a Natureza. No entanto, essa calma esconde uma energia criativa e interessante. Tudo aqui é de conteúdo e discreto, desde os cafés, as lojas de moda, mas o nível é alto. A oferta hoteleira repete esse padrão c, respectivamente). O hotel histórico é um elegante Hotel Borg, mas se você prefere algo mais alternativo existem neohostels como Hlemmur Square ou KEX; estes espaços saciar o nosso desejo de nos sentirmos criaturas de nosso tempo. Reykjavík é extrahorário de verão e tem lugares estranhos, como Friðheimar, onde só servem pratos feitos com tomate. O que não é discreto, nem conteúdo é a paisagem natural que rodeia a Reykjavík. A presença da água, dos vulcões e a natureza extrema da ilha, não se pode nem se deve evitar. Tudo o que viaja para a Islândia torna apaixonado e com uma nova definiciou“n” na palavra ‘belo.

Mapa de Bogotá6

Madrid Foodies

EspañaFoodies

Atlantik Corner, a onda atlântica da capital

A Madrid nunca se tem vindo a comer. Nunca, até agora, especificamos. A capital tornou-se uma meca para gastroaficionados, disfrutones e fetichistas da boa mesa. Só precisou de uma década para conseguir o que outras não conseguem nunca. Madrid oferece agora uma estimulante mistura de restaurante com estrelas Michelin (de 3, 2 e 1), mercados gourmet, propostas indies, restaurantes com culto ao produto, espaços ‘instagrameables’ e formatos únicos. Madrid hoje, além disso, recolhe e marca tendências, como a da cozinha atlântica (Barra Atlântica e Atlantik Corner) ou de mercados que combina o tradicional com as propostas criativas, como o de Vallehermoso ou de Antón Martín. Templos como A Tasquita de Frente ou Viridiana nunca perdem seus fiéis. Em paralelo, nascem novos cultos, como o que se presta a sites como Nakeima, Lakasa, TriCiclo ou Bistronomika. A vida gastro Madrid é, como a própria cidade vibrante e em perpetuidade vital.

Mapa de Madrid5

Kyoto Citadinas

JapónUrbanitas

Kyoto, localizado entre o passado e o presente

Sentar-se você está assistindo um jardim composto apenas por catorze pedras e nada mais. Dormir em um ryokan de luz tênue. Andar de bicicleta e atravessar pontes milenares. Comer algo (que não saberemos o que é exatamente), sentados no parque Maruyama-kōen, perambular por templos e igrejas e templos. Se perder por Byodoin Omotesando, Isetan e suas áreas gourmet. Estas são algumas das actividades que se podem fazer em Quioto, essa cidade que não há que se perder quando se viaja para o Japão. Se Tóquio é o ruído, Kyoto é o silêncio.Se Tóquio é o futuro, Kioto estao no passado e no presente. Mas cuidado, não se engane: Kyoto não é um pequeno vilarejo, mas uma grande cidade com muito e bom shopping, arquitetura contemporânea e vida noturna. Como o resto do Japão, causa no estrangeiro, o sensooun que estao em um planeta estranho, em vez de terra. É Por isso que é tão fascinante.

Mapa de Kyoto4

Menorca Naturais

EspañaNaturales

A espanha vem a ser e a deixar-se estar

Existem lugares que parecem distantes. Existem lugares a uma hora de avião que tem se mantido longe de ruídos estéticos e éticos. Menorca é um deles. Esta ilha mediterrânea é discreta e elegante, como os que a frequentam. Nela há enseadas e praias, como as de Ferreríes, Binidalí ou Cala Tartaruga; povos pequenos e lojas como A Cereria ou BOBA’s, onde o artesanato e o design são grandes amigas. O nível hoteleiro é alto. Encontramos desde moradias com camas brancas e piscinas infinitas como Cugó Grande, hotéis boutique como o J do ses Bruixes, passando por refúgios românticos como Torralbenc. Também podemos visitar onde catar e comer como Binibeca. A espanha não vem para ver e ser visto. Vem a ser e deixar-se estar.

Mapa de Minorca3

Val d’Orcia Foodies

ItaliaFoodies

Tudo o que se espera (e não) da Toscana

O nome talvez não nos tocar, mas se dissermos que este vale pertence a área mais genuína da Toscana, então, em seguida o anotamos em nossa lista de desejos viajantes. Val d‘Orcia é um lugar para desfrutar de tudo o que se espera de Toscana: vinhedos, povos de paralelepípedos emoldurados por ciprestes, casas de pedra com mais ciprestes, vestígios romanos e renascentistas… mas sem as hordas de turistas do resto da região. Aqui se refugiam os italianos que melhor apreciam a arte da ‘dolce vita’. A comida e a bebida são essenciais neste aproveite. Nesta área está Montalcino, famosa por seus vinhos. Aqui não se bebe mal, não. No mesmo povo está o elegante restaurante Grotta, mas também sites mais tradicionais, como a trattoria Diva e Maceo. Outras trattorias da área são Latte di Luna, em Pienza, ou o elegante Dopolavoro, ao lado dos jardins (visitáveis) Da Force. É mais uma neotrattoria, mas a atmosfera é a mesma. Muito perto, em Monteverdi, um albergo diffuso , onde tudo é requintado, o restaurante Oreade da chef Giancarla Bodoni (esta chef leva a esta aldeia-hotel as filosofias da ‘raw food’ ou ‘farm to table’). Já que estamos nós podemos, devemos, visitar uma adega. Le-Papo ou Podere Forte são boas opções. Tudo aqui desperta os sentidos. Os cinco.

Mapa de Val d'Orcia2

Ilhas Dos Açores Naturais

PortugalNaturales

Nos Açores a Natureza é excessiva

Todo mundo acha que é capaz dedistinguir os vários tons de verde (ou azul)… até que vai para os Açores. Nestas nove ilhas situadas no meio do oceano Atlântico, a Natureza é excessiva. Também o é o mimo com que cuidam de suas ilhas e se cuidam. Estar nos Açores é sentir-se no meio do nada, entre a Europa e a América. Cada ilha tem a sua personalidade. São Miguel e Terceira são as mais visitadas. Aqui há vilas de pescadores, arquitetura colonial, praias, montanhas, piscinas naturais e hotéis eco como o de Santa Bárbara. Duas raridades: nos Açores, há campos de chá (parece que estivéssemos na Ásia) e é um dos bares mais famosos do mundo: o Café Sport ou bar do Peter, situado na Horta, na ilha do Faial. A vida aquií se move no ritmo do mar e das lendas de marinheiros.

Mapa de Ilhas dos Açores1

Sifnos Românticos

GreciaRománticos

O plano em Sifnos é deixar-se levar. Não é mau plano.

As Cíclades são um arquipélago que lhe sobram da História e encantos. Um deles, muito conhecido pelos locais e pouco para os estrangeiros, é Sifnos. Para passar alguns dias nesta ilha encantadora sobram os motivos. Nela existem 365 igrejas, algumas minúsculas, mas todas encantadoras; poderíamos visitar cada dia uma e não repetiríamos. Também estão as enseadas e praias que esperamos de uma ilha no meio do Mediterrâneo e restaurantes que comer com os pés na água. Ou mosteiros como o de Chrisopigi, à beira do mar. Em Sifnos a vida é simples e sem aspirações mais (nem menos) que desfrutar de todas as horas. Estar no hotel adequado ajuda. Kamarotí, tão bem integrado, que passa despercebido, é muito adequado. Tem estilo, conforto e ele nunca tem a sensação de esta perdiéndote algo. Essa idéia de sense of place‘, de lugares que só podem estar onde estan, é bonita. O plano em Sifnos é alugar uma moto e deixar-se levar. Não é mau plano.

Mapa de Sifnos